Search
Close this search box.
Home / Bíblia / Assuntos Gerais (Bíblia) / Quem escreveu a Bíblia? Deus ou homens?

Quem escreveu a Bíblia? Deus ou homens?

A Bíblia permanece como uma das obras literárias mais influentes e reverenciadas da história da humanidade.

Porém, em pleno século XXI, a questão de sua autoria continua sendo objeto de intensos debates e especulações.

Descobrir quem a escreveu é uma jornada que nos permite não apenas desvendar a identidade daqueles que a redigiram, mas também compreender Quem guiou e orientou cada um desses autores em sua escrita.

A Bíblia foi escrita por homens, por isso não dá para acreditar

Uma das discussões sobre a Bíblia é a de que ela foi escrita por mãos humanas, levando muitos a questionar suas peculiaridades e confiabilidade. A indagação que emerge é: se fosse para Deus transmitir Sua palavra, quem Ele usaria senão os homens?

Há um evento marcante na Bíblia que ilustra a ocorrência das pessoas, quando Deus se manifesta de maneira direta: no livro de Daniel, uma escrita aparece misteriosamente na parede durante um banquete do rei Belsazar, causando grande temor entre os presentes (Daniel 5:5-6).

Sim, é incontestável que a Bíblia foi redigida por seres humanos, mas é crucial entender que eles foram sob a inspiração divina ao fazê-lo. A inspiração divina e a contribuição humana se complementam, trazendo uma profundidade única na Bíblia.

Documentos contemporâneos escritos por homens que não são questionados

Na contemporaneidade, somos cercados por numerosos documentos e escritos produzidos por seres humanos — desde artigos científicos, receitas até tratados e contratos.

As pessoas tendem a confiar e acreditar nestes documentos sem hesitação. Então, por que questionar a confiabilidade da Bíblia, uma obra que, embora escrita por mãos humanas, foi inspirada pela sabedoria e direção do Criador do universo?

A ideia é que uma intervenção divina não anula a humanidade dos autores bíblicos, mas a eleva, tornando a escritura sagrada única.

O que significa inspiração divina da Bíblia?

A inspiração divina, no contexto da Bíblia, refere-se ao processo pelo qual Deus guiou os autores humanos para escreverem os textos que compõem as Escrituras Sagradas.

Segundo a doutrina cristã, embora os escritos bíblicos tenham sido registrados por mãos humanas, eles foram influenciados e orientados pelo Espírito Santo, garantindo que suas palavras e mensagens fossem fiéis à vontade de Deus.

Como afirmado em 2 Timóteo 3:16: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça”.

Como ocorreu a inspiração divina na escrita da Bíblia?

Os autores bíblicos não foram apenas escritores que registraram palavras ditadas diretamente por Deus, mas sim indivíduos que, sob a influência do Espírito Santo, utilizaram suas próprias personalidades, estilos de escrita e contextos culturais para transmitir as mensagens divinas.

O apóstolo Pedro reforça essa ideia em 2 Pedro 1:21, onde declara: “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.

Assim, a inspiração divina funciona como uma espécie de influência de Deus sobre os escritores bíblicos, garantindo que, embora as palavras reflitam os estilos e nuances individuais dos autores, o conteúdo principal seja verdadeiro, autêntico e alinhado com a vontade divina.

A Bíblia e seus autores humanos

A Bíblia Sagrada, uma compilação magnífica que se estende de 1500 – 1400 a.C a 100 d.C é um testemunho da inspiração divina, e também da tapeçaria da humanidade.

Composto por 66 livros diferentes — 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo —, sua autoria se diversifica, escrita por uma variedade de autores que provinham de diferentes estratos sociais e ocupacionais.

Esta diversidade é claramente refletida na variedade de seus autores: desde figuras nobres como o rei Davi, que viveu por volta do século X a.C, até pessoas humildes como o boiadeiro Amós, século VIII a.C.

Esta variedade de autores reflete a abrangência e a universalidade da mensagem bíblica, evidenciando que, independentemente de estatura ou posição social, todos eram veículos válidos para a revelação divina.

Através de suas páginas, esses indivíduos, movidos pelo Espírito Santo, transmitiram verdades eternas que continuaram a ressoar através dos tempos.

A Bíblia é a palavra de Deus

A Bíblia, extremamente reconhecida como a Palavra de Deus, é uma comunicação divina que transmite a Sua vontade e amor incondicional pela humanidade.

Em 1 Tessalonicenses 2:13, Paulo escreve: “E é por isso que continuamente damos graças a Deus, porque, quando recebidos de nossa parte a palavra que provém de Deus, vocês a aceitaram não como palavra humana, mas, segundo verdadeiramente é, como palavra de Deus, a qual atua eficazmente em vocês, os que creem.”

Esses versículos ressaltam a natureza divina das Escrituras, indicando que, embora transmitido por meio de humanos, sua origem é divina.

Assim, é confiável não como mera invenção ou narrativa humana, mas como uma revelação direta e ativa de Deus ao coração daqueles que creem.

Conclusão

A Bíblia, uma das obras literárias mais influentes da história, mesmo no século XXI, permanece no centro de debates sobre sua autoria.

Escrita por diferentes indivíduos, desde reis como Davi até boiadeiros como Amós, esta compilação testemunho a mão de Deus guiando cada palavra e história.

Ainda que muitos questionem a sua confiabilidade por ser uma obra redigida por mãos humanas, o próprio texto sagrado, como em 1 Tessalonicenses 2:13 e 2 Timóteo 3:16, reafirma sua origem divina.

Assim, a Bíblia é vista não apenas como uma coleção de escritos humanos, mas como uma comunicação direta de Deus, transcendendo tempo, cultura e posição social.

Em sua essência, é uma fusão harmoniosa da humanidade com a divindade, carregando mensagens que ressoam por gerações.

Referências bibliográficas

Bíblia. Português. Bíblia de Estudos Almeida. Tradução de João Ferreira de Almeida. 2ª edição, São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

SCHMID, Konrad; SCHROTER, Jens. O surgimento da Bíblia: Dos primeiros textos às Sagradas Escrituras. 1ª edição. Rio de Janeiro: Vozes, 2023.

SILVA, Antônio Gilberto da. A Bíblia através dos séculos. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1986.

Leia também

Introdução à bibliologia

O que é bibliologia?

Introdução ao estudo das divisões do Antigo Testamento

A Bíblia é ou ‘contém’ a palavra de Deus?

Quem é o tema central da Bíblia Sagrada?

As DUAS grandes partes e OITO seções da Bíblia Sagrada

Ações simples para ler toda a Bíblia

Bíblia e Teologia: compreendendo a relação entre a palavra de Deus e o estudo teológico

Artigos Relacionados

Compartilhe:

Índice

Mais Populares

apostolo-paulo

33 fatos relevantes da vida do apóstolo Paulo

diferenças-entre-sumo-sacerdotes-sacerdote-e-levita

Diferenças entre sumo sacerdote, sacerdote e levita.

biblia-palavra-de-deus

A Bíblia é ou ‘contém’ a palavra de Deus?

genealogia

Por que existem duas genealogias de Jesus na Bíblia?

30-coisas-que-o-cristão-NÃO-deve-fazer

30 coisas que o cristão NÃO deve fazer

WhatsApp
Entre para o nosso grupo do WhatsApp e receba os nossos conteúdos no seu celular.