Search
Close this search box.
Home / Bíblia / Assuntos Gerais (Bíblia) / As cartas e livros da Bíblia

As cartas e livros da Bíblia

A Bíblia é uma coleção de livros e cartas que formam o cânon sagrado do Cristianismo.

Dividida em duas partes principais, o Antigo Testamento (AT) e o Novo Testamento (NT), ela oferece uma narrativa contínua que começa com a criação do mundo e se estende até a revelação final de Deus.

Cada livro e carta tem um propósito específico e uma mensagem única, contribuindo para o entendimento global da fé cristã.

Os livros da Bíblia foram escritos por diversos autores ao longo de muitos séculos, proporcionando estilos literários e contextos históricos diferentes.

Esta variedade não apenas enriquece o texto sagrado, mas também oferece uma visão abrangente da relação entre Deus e a humanidade.

A compreensão da estrutura e do conteúdo desses livros é essencial para uma leitura aprofundada e significativa da Bíblia.

As cartas, ou epístolas, são uma parte vital do Novo Testamento, oferecendo instruções específicas e ensinamentos práticos para as primeiras comunidades cristãs.

Escritas principalmente pelos apóstolos, estas cartas abordam questões doutrinárias, éticas e pastorais, orientando os crentes em sua fé e prática diária.

A distinção entre livros e cartas é crucial para entender a organização e a mensagem da Bíblia na totalidade.

Onde ficam os livros?

Os livros da Bíblia estão distribuídos entre o Antigo e o Novo Testamento. O Antigo Testamento começa com o Gênesis e terminando com Malaquias.

Estes livros estão agrupados em várias categorias: a Lei (Torá), histórias, poesias e as profecias. A Lei inclui os primeiros cinco livros, também conhecidos como Pentateuco.

Os Profetas são divididos em Profetas Maiores e Profetas Menores, enquanto os históricos e poéticos incluem uma variedade de gêneros literários, como poesia e sabedoria.

No Novo Testamento os quatro Evangelhos: Mateus, Marcos, Lucas e João, que narram a vida e os ensinamentos de Jesus Cristo.

Seguindo os Evangelhos, temos o livro de Atos dos Apóstolos, que descreve a formação da igreja primitiva. Fechado com a revelação no livro do Apocalipse.

Cada um desses livros foi escrito em diferentes contextos históricos e culturais, mas todos visam revelar a verdade de Deus.

A organização dos livros em ambas as partes da Bíblia não é aleatória; cada seção foi cuidadosamente compilada para transmitir a mensagem divina de forma coesa e progressiva.

A estrutura facilita a leitura e a compreensão do plano de Deus para a humanidade, desde a criação até a redenção final. Essa organização é essencial para aqueles que buscam um estudo mais profundo das Escrituras.

Onde ficam as cartas ou epístolas?

As cartas ou epístolas estão localizadas exclusivamente no Novo Testamento, escritas por diversos apóstolos e líderes da igreja primitiva.

As epístolas paulinas são as mais numerosas, atribuídas ao apóstolo Paulo. Ele escreveu dirigidas a diferentes comunidades cristãs e indivíduos.

Além das cartas de Paulo, o Novo Testamento inclui as epístolas gerais, também conhecidas como católicas.

Estas cartas são assim chamadas porque foram dirigidas a um público cristão mais amplo, não há uma igreja específica.

Cada uma destas cartas aborda temas importantes para a fé e a prática cristã, respondendo a desafios específicos enfrentados pelos primeiros cristãos.

A carta aos Hebreus, embora muitas vezes incluído entre as epístolas, possui um estilo distinto e um autor incerto.

Tradicionalmente, alguns acreditam que Paulo tenha escrito a carta aos hebreus, mas a falta de uma saudação típica de Paulo levanta dúvidas.

Independentemente do autor, a carta aos hebreus oferece uma rica teologia sobre a supremacia de Cristo e a nova aliança.

As cartas do Novo Testamento são fundamentais para a doutrina cristã e continuam a ser uma fonte de instrução e encorajamento.

Qual a quantidade de livros e cartas da Bíblia?

A Bíblia contém um total de 66 livros/cartas, sendo 45 livros, 39 no Antigo Testamento e 6 no Novo Testamento, mais 21 cartas.

O Antigo Testamento começa com Gênesis e termina com Malaquias, abrangendo a criação do mundo, a história de Israel, leis, poesias e profecias.

No Novo Testamento, além dos quatro Evangelhos, Atos e do Apocalipse, encontramos as 21 cartas ou epístolas.

Dessas, 13 são atribuídas a Paulo, enquanto as outras são epístolas gerais ou católicas.

A distribuição dessas cartas entre diferentes igrejas e indivíduos reflete a preocupação pastoral e teológica dos apóstolos com as diversas comunidades cristãs espalhadas pelo Império Romano.

A soma de livros e cartas oferece um cânone completo e harmonioso, proporcionando uma visão abrangente da mensagem de Deus para a humanidade.

Cada livro e carta tem sua importância única e contribui para o entendimento global da revelação divina.

A contagem exata e a estrutura desses textos são fundamentais para o estudo e a aplicação das Escrituras na vida dos crentes.

Qual a diferença entre livros e cartas?

A principal diferença entre livros e cartas na Bíblia está no propósito e no estilo literário de cada um.

Os livros foram escritos para registrar eventos históricos, transmitir leis divinas e profetizar sobre o futuro.

As cartas, ou epístolas, são comunicações específicas e pessoais, muitas vezes destinadas a igrejas ou indivíduos particulares.

Elas são mais curtas e abordam questões práticas e doutrinárias enfrentadas pelas primeiras comunidades cristãs.

Escritas em formato de correspondência, as epístolas de Paulo, por exemplo, começam frequentemente com saudações e terminam com bênçãos e recomendações pessoais.

Outra diferença importante é que os livros foram escritos ao longo de muitos séculos, enquanto as cartas do Novo Testamento foram escritas em um período relativamente curto.

Essa diferença temporal reflete a urgência e a relevância imediata das cartas para as comunidades destinatárias.

Enquanto os livros fornecem uma base histórica e teológica ampla, as cartas focam em questões específicas, proporcionando orientação e encorajamento direto.

Os livros com numerais

Muitos leitores cometem o erro de referir-se aos livros bíblicos com numerais ordinais incorretos, como “Segunda Crônicas” em vez de “Segundo Crônicas”.

Este erro de concordância não apenas soa incorreto, mas também distorce a forma correta de citar as Escrituras.

A forma correta é “Segundo Livro das Crônicas”, uma vez que “Segundo” se refere ao numeral ordinal, enquanto “Livro das Crônicas” é o nome do livro.

O mesmo se aplica a outros livros como “Primeiro Samuel” e “Segundo Reis”. É importante usar a forma correta para manter a integridade e o respeito ao texto bíblico.

O uso adequado dos nomes dos livros também facilita a comunicação e o estudo das Escrituras, evitando confusões e mal-entendidos.

A forma correta de citar os livros é um aspecto fundamental da exegese bíblica e da educação cristã.

Ensinar e usar corretamente os nomes dos livros promove uma leitura mais acurada e respeitosa da Bíblia, refletindo o valor que damos às Escrituras Sagradas.

É um detalhe simples, mas significativo, que demonstra nosso compromisso com a precisão e a reverência ao texto bíblico.

Maneira correta de citar os livros

  • Primeiro livro de Samuel.
  • Segundo livro de Samuel
  • Primeiro  livro dos Reis
  • Segundo livro dos Reis
  • Primeiro  livro das Crônicas
  • Segundo livro das Crônicas

As cartas com numerais

Outro erro comum cometido por muitos leitores da Bíblia é referir-se às cartas do Novo Testamento com numerais ordinais incorretos, como “Segundo Coríntios” em vez de “Segunda aos Coríntios”.

A forma correta é “Segunda Carta aos Coríntios”, uma vez que “Segundo” é uma palavra que termina com artigo masculino, remetendo à indicação de livros.

Portanto, ao usar “Segunda”, adequamos corretamente o gênero ao substantivo “Carta”, que é feminino, mantendo a coerência gramatical.

Esse erro de concordância também se aplica a outras epístolas, como “Primeiro a Timóteo” em vez de “Primeira Carta a Timóteo” e “Segundo a Pedro” em vez de “Segunda Carta de Pedro”.

A correta utilização dos numerais ordinais e dos títulos das cartas é essencial para manter a precisão e a clareza na comunicação das Escrituras.

Isso ajuda a identificar corretamente o conteúdo e o contexto das epístolas, evitando confusões.

Além de manter a precisão textual, citar correta dos nomes das cartas promove uma compreensão mais clara e precisa das epístolas e de suas mensagens.

Maneira correta de citar as cartas

  • Primeira Carta aos Coríntios
  • Segunda Carta aos Coríntios
  • Primeira Carta aos Tessalonicenses
  • Segunda Carta aos Tessalonicenses
  • Primeira Carta a Timóteo
  • Segunda Carta a Timóteo
  • Primeira Carta de Pedro
  • Segunda Carta de Pedro
  • Primeira Carta de João
  • Segunda Carta de João
  • Terceira Carta de João

Conclusão

A Bíblia, com seus livros e cartas, é um tesouro de sabedoria divina e orientação espiritual.

Compreender a organização e a distinção entre livros e cartas é fundamental para uma leitura mais profunda e significativa das Escrituras.

Cada livro e carta tem seu propósito específico, contribuindo para a revelação completa do plano de Deus para a humanidade.

A precisão na citação dos livros e cartas bíblicos, evitando, erros comuns como “Segunda Crônicas” e “Segundo Coríntios”, é vital para a clareza e a reverência ao texto sagrado.

Esses detalhes, embora possam parecer pequenos, são essenciais para manter a integridade e o respeito às Escrituras. Eles refletem nosso compromisso com a precisão e a fidelidade ao texto bíblico.

Ao estudar a Bíblia, é crucial valorizar cada livro e carta, reconhecendo sua importância e contribuindo para a compreensão global da mensagem divina.

Seja na leitura pessoal, no ensino ou na pregação, a correta compreensão e citação das Escrituras enriquecem nossa fé e nos aproximam mais do propósito e da vontade de Deus para nossas vidas.

Referências Bibliográficas

BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudos Almeida. Tradução de João Ferreira de Almeida. 2ª edição, São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

CHAMPLIN, Russel N. Comentário Bíblico | Novo Testamento Interpretado | 6 Vol. São Paulo: Editora Hagnos, 2019.

Leia também:

Ações simples para ler toda Bíblia

Artigos Relacionados

Compartilhe:

Índice

Mais Populares

apostolo-paulo

33 fatos relevantes da vida do apóstolo Paulo

diferenças-entre-sumo-sacerdotes-sacerdote-e-levita

Diferenças entre sumo sacerdote, sacerdote e levita.

biblia-palavra-de-deus

A Bíblia é ou ‘contém’ a palavra de Deus?

30-coisas-que-o-cristão-NÃO-deve-fazer

30 coisas que o cristão NÃO deve fazer

genealogia

Por que existem duas genealogias de Jesus na Bíblia?

WhatsApp
Entre para o nosso grupo do WhatsApp e receba os nossos conteúdos no seu celular.