Search
Close this search box.
Home / Bíblia / Velho Testamento / Pentateuco (Lei) / Por que podemos dizer que Moisés é o autor do pentateuco?

Por que podemos dizer que Moisés é o autor do pentateuco?

A atribuição do Pentateuco a Moisés tem sido um pilar da tradição judaico-cristã ao longo dos séculos. Essa tradição está enraizada tanto em textos bíblicos quanto em testemunhos históricos e teológicos.

O Pentateuco — composto pelos livros de Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio — serve como o alicerce não apenas para a história e leis de Israel, mas também para toda a narrativa subsequente das Escrituras.

Este artigo explora as razões pelas quais Moisés é considerado o autor desses textos, fundamentando-se em evidências bíblicas e na compreensão histórica da transmissão desses escritos.

Tradição e testemunho histórico

A tradição judaica sempre sustentou que Moisés escreveu o Pentateuco (Torá ou Lei), um ponto de vista compartilhado pelos primeiros cristãos. Este entendimento está enraizado em passagens como Êxodo 17:14, onde Deus instrui Moisés a “escrever isto para memória em um livro”.

O Talmude, um dos textos centrais do judaísmo rabínico, afirma explicitamente a autoria mosaica da Torá, exceto os últimos versículos do Deuteronômio que descrevem sua morte, sendo tradicionalmente atribuídos a Josué.

Personagens do Novo Testamento, incluindo Jesus em Marcos 12:26 e João 5:46-47, referir-se a Moisés como o autor da Lei, reforçando essa percepção tradicional de autoria.

Evidências Internas nos textos

No próprio Pentateuco, há numerosas referências a Moisés recebendo instruções diretas de Deus para escrever leis e acontecimentos específicos, como em Êxodo 24:4, onde Moisés é descrito escrevendo “todas as palavras do Senhor”.

Em Números 33:2, é mencionado que “Moisés escreveu as suas saídas, segundo as suas jornadas, por mandato do Senhor”; isto sugere que os itinerários de Israel foram registrados por sua mão.

Deuteronômio contém discursos expressamente designados a Moisés, e presume-se que ele os escreveu como parte de suas últimas instruções ao povo de Israel (Deuteronômio 31:9-11).

Linguagem, estilo e conteúdo

Uma análise linguística e estilística revela certas consistências em todo o Pentateuco que apoiam a teoria de uma fonte única ou principal. Embora existam variações estilísticas, elas podem ser atribuídas a um vasto leque de temas envolvidos, de narrativas históricas a leis e poesia.

O conhecimento detalhado da geografia egípcia e das práticas do corte, como evidenciado em Gênesis e Êxodo, poderia ser atribuído a alguém com a educação de Moisés, “instruído em toda a sabedoria dos egípcios” (Atos 7:22).

As leis civis e divinas refletem uma unidade e coesão que sugere um legislador único, o que seria congruente com o papel de Moisés como líder e juiz de Israel.

A influência de Moisés em Israel

Moisés é central na formação da identidade nacional e religiosa de Israel, uma influência consistente com a de um fundador e autor. A importância de sua liderança e seu papel como mediador da aliança são elementos que permeiam o Pentateuco.

As repetidas referências a Moisés como o receptor e transmissor dos mandamentos de Deus apontam para ele como a fonte natural da legislação e da narrativa histórica encontrada no Pentateuco.

A veneração e o respeito por Moisés entre as tribos de Israel fortaleceram a transmissão e preservação de seus escritos, um fator que sustenta a crença em sua autoria.

O contexto da época e a prática de escrita

No contexto do antigo oriente próximo, era comum para líderes como Moisés serem literatos e participarem ativamente na produção de documentos legais e históricos, o consistente com a atribuição dos escritos do Pentateuco a ele.

A descoberta de outros textos antigos e leis codificadas da região corroboram a possibilidade de Moisés ter composto leis e escritos semelhantemente, consolidando a tradição oral e a história de seu povo.

A existência de materiais de escrita e o desenvolvimento da escrita hierática e cuneiforme durante o período em que Moisés teria vivido tornou plausível que ele pudesse ter escrito ou ditado textos que formariam o Pentateuco.

Desafios à autoria mosaica e possíveis respostas

Embora as hipóteses documentárias e outras teorias críticas modernas desafiem a autoria mosaica do Pentateuco, essas teorias não são definitivas e permanecem como uma interpretação entre muitas.

Algumas das supostas anacronismos e discrepâncias nos textos podem ser explicadas por atualizações editoriais ou esclarecimentos posteriores, sem negar a essência da autoria de Moisés.

A tradição da autoria mosaica pode ser vista como uma composição complexa que Moisés envolve como fonte principal, com possíveis acréscimos e edições pós-mosaicas para contextualização na história de Israel.

A confirmação de Jesus Cristo sobre a autoria do pentateuco

Nos Evangelhos, Jesus confirmou expressamente Moisés como autor da Lei. Em Marcos 7:10, por exemplo, Ele cita um mandamento escrito no pentateuco e afirma que foi dito por Moisés. “Pois Moisés disse: ‘Honra teu pai e tua mãe’”.

Este reconhecimento não só afirma a autoria de Moisés sobre a Lei, mas também endossa sua autoridade espiritual. Em João 5:46, Jesus fala com clareza sobre a relação entre seus ensinamentos e os de Moisés: “Se crêsseis em Moisés, creríeis em mim, porque ele escreveu sobre mim”.

Este versículo é uma confirmação direta de que Jesus via as Escrituras mosaicas como proféticas e autoritativas, ligando as antigas escrituras judaicas à sua própria missão e identidade.

Conclusão

Ao explorar a autoria do Pentateuco, as evidências convergem para Moisés como figura central e autor principal desses textos fundamentais.

Enquanto desafios à sua autoria existem e são importantes para o debate acadêmico, a tradição e as evidências internas dos próprios textos oferecem um caso convincente para o papel de Moisés na composição do Pentateuco.

A consideração da autoria mosaica não é apenas uma questão de fé, mas também uma avaliação textual e histórica que confirma Moisés como uma figura fundamental na herança literária e espiritual da humanidade.

Referências Bibliográficas

BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudos Almeida. Tradução de João Ferreira de Almeida. 2ª edição, São Paulo:Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

LA SOR, William S.; HUBBARD, David A.; BUSH, Frederic W. Panorama do Pentateuco: Análise e Interpretação dos Primeiros Livros da Bíblia – Série Fundamentos Teológicos. Rio de Janeiro: Editora CPAD, 2017.

Veja também:

97 perguntas bíblicas e teológicas sobre o Pentateuco

Artigos Relacionados

Compartilhe:

Índice

Mais Populares

apostolo-paulo

33 fatos relevantes da vida do apóstolo Paulo

diferenças-entre-sumo-sacerdotes-sacerdote-e-levita

Diferenças entre sumo sacerdote, sacerdote e levita.

biblia-palavra-de-deus

A Bíblia é ou ‘contém’ a palavra de Deus?

30-coisas-que-o-cristão-NÃO-deve-fazer

30 coisas que o cristão NÃO deve fazer

genealogia

Por que existem duas genealogias de Jesus na Bíblia?

WhatsApp
Entre para o nosso grupo do WhatsApp e receba os nossos conteúdos no seu celular.